COMPARTILHAR

Prefeito de Fortaleza rejeita comentários de que seria candidato do PDT à sucessão de Camilo e diz que todas as manifestações da sigla vão no sentido de apoiar a reeleição do governador

A gestão do prefeito Roberto Cláudio é apresentada por integrantes do PDT como um “modelo” de “como o partido administra” e deve servir de base para marcar o discurso na eleição de 2018. Mas os resultados da administração não motivam RC a traçar voos mais altos para o próximo ano como, por exemplo, a disputa ao governo do Ceará ou a uma das duas vagas do Senado Federal.

Em entrevista ao jornal O Estado, o gestor afastou a possibilidade de candidatura afirmando que pretende seguir “até o fim” no mandato que será encerrado em 2020. “Eu já ouvi comentários dando conta de que eu seria o candidato do partido ao Palácio da Abolição, mas isso não tem o menor grau de verdade, porque o meu projeto é cumprir na totalidade o segundo mandato”, reforça.

Apoio
Além disso, RC reafirma a intenção de apoiar a candidatura de reeleição do governador. “Todas as falas do PDT são no sentido de apoiar a reeleição do governador Camilo Santana. Eu apoio o projeto de reeleição do governador petista com todo prazer e confiança, porque ele está fazendo um trabalho muito produtivo”, reconhece.

RC ainda justifica a decisão pelo compromisso de, segundo afirma, fazer o segundo mandato “melhor do que o primeiro”. Ele acrescenta que a especulação de que seria o candidato do partido na sucessão estadual vem da parte de quem quer “mudar uma decisão”. Para o prefeito, Camilo Santana tem garantido conquistas importantes para o Ceará e “só não está produzindo mais” por conta da escassez de recursos, em consequência da crise econômica brasileira .

Temer
Na entrevista, Roberto Cláudio também comentou a manutenção do presidente Michel Temer no cargo, por decisão do Tribunal Superior Eleitoral que absolveu a chapa Dilma-Temer. Apesar de o PDT fazer oposição e defender o “Fora-Temer”, RC ponderou que “foi uma decisão do plenário” e que “decisão da Justiça não se discute”.

Na torcida
O prefeito, no entanto, afirma que mesmo no campo de oposição, torce para que o governo retome o ritmo do crescimento. O pedetista lembra da dependência dos municípios em relação ao Governo Federal e diz que as turbulências das crises econômica e política atingem diretamente as administrações. “Ao meu ver, enquanto houver turbulência e enquanto houver escândalos e falta de clareza nas políticas econômicas a gente fica com dificuldades”, lamenta.

Com informações do OE

Comments

comments