COMPARTILHAR

Nesta segunda-feira (5), o venezuelano Ilich Ramírez Sánchez, conhecido como "Carlos, o Chacal" passa por uma apelação do seu julgamento. Ele foi condenado à prisão perpétua em 2017 por um atentado cometido em 15 de setembro de 1974 anos, contra uma galeria comercial no bulevar parisiense de Saint Germain, em Paris.

Duas pessoas morreram, e dezenas ficaram feridas no episódio. De acordo com o Correio do Povo, vestido todo de preto, "o Chacal" entrou na sala de audiências com o punho direito erguido, em atitude desafiadora, antes de jogar um beijo para os jornalistas.



Muito conhecido dos grupos armados pró-palestinos dos anos 1970 e 1980, Ramírez Sánchez se apresentou aos juízes como um "revolucionário de profissão", de nacionalidade "venezuelana e palestina".

Este é o julgamento final desse ex-ativista da causa palestina. Ele já enfrenta duas condenações a prisão perpétua por um triplo homicídio em 1975, em Paris, e por quatro atentados com explosivos nos anos 1980, que deixaram 11 mortos e 191 feridos.