COMPARTILHAR

O cofundador da Microsoft, o empresário e filantropo estadunidense Paul Allen, e sua equipe de exploração descobriram um porta-aviões norte-americano da época da Segunda Guerra Mundial, meses após ter sido resolvido um outro mistério de 72 anos sobre a localização de um destroier norte-americano do mesmo período.

Neste domingo (4), Paul Allen e seu navio de pesquisa R/V Petrel descobriram o porta-aviões USS Lexington a cerca de 800 quilômetros da costa leste da Austrália.



O navio foi um dos primeiros porta-aviões dos EUA e um dos principais alvos do ataque japonês à base de Pearl Harbor, em dezembro de 1941. O USS Lexington estava no mar no momento do ataque, escapando desta maneira ao destino triste da maior parte da frota do pacífico dos EUA.

O navio foi gravemente danificado por bombardeiros japoneses durante a Batalha do Mar de Cora, em maio de 1942 e depois a Marinha norte-americana o afundou para que não fosse capturado pelo inimigo.



"Acabamos de encontrar o USS Lexington depois de seu afundamento há 76 anos", afirmou Allen, sublinhando que é uma honra prestar homenagem ao navio e à sua corajosa tripulação.

Além do USS Lexington, a embarcação do bilionário já descobriu o cruzador USS Indianapolis, o navio de guerra japonês Musashi e o navio italiano Artigliere, segundo a USNI News.

Em 19 de agosto, a equipe de Allen detectou o lugar do naufrágio do USS Indianapolis no mar das Filipinas. Um submarino japonês retirou do fundo o próprio navio e os restos da maioria de seus 1.196 tripulantes. Das 317 pessoas que sobreviveram o naufrágio em 1945, 17 ainda estavam vivas quando os destroços do navio foram encontrados. Com informações da Sputnik Brasil.