COMPARTILHAR

Foi aprovada neste domingo (4) a coalizão entre o Partido Social-Democrata alemão (SPD) e a chanceler Angela Merkel. O resultado foi anunciado após dois terços dos filiados do partido votassem a favor da junção.

Dessa forma, como lembrou a Folha de S. Paulo, permiti-se que haja o fim do impasse político em que a Alemanha se encontra desde as eleições de setembro, quando nenhum partido conseguiu formar maioria no Parlamento e governar sozinho.



+ Itália: cerca de 46 milhões vão às urnas neste domingo

Estavam aptos a votar 463 mil membros do SPD, e 363 mil apresentaram um voto válido. O “sim” obteve 66% dos votos, em um resultado definido como “clara maioria” pelo prefeito de Hamburgo, Olaf Scholz, provável novo ministro das Finanças da Alemanha.



O fracasso na tentativa de coalizão de Merkel com os Verdes e os liberais levou a chanceler a buscar novamente um governo com os sociais-democratas. As outras duas alternativas, um governo de minoria no Parlamento ou novas eleições, não agradam Merkel, que teme um fortalecimento do partido de direita ultranacionalista AfD (Alternativa para a Alemanha).