COMPARTILHAR

Cercado de integrantes de movimentos sociais, artistas e personalidades do mundo político, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, deve anunciar sua pré-candidatura à Presidência pelo PSOL neste domingo, em São Paulo, com o objetivo de ampliar os limites da sigla e se tornar alternativa viável de esquerda caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja impedido pela Justiça de disputar a eleição.

O próprio Boulos evita falar abertamente sobre o anúncio da pré-candidatura para não estragar a surpresa, mas, segundo dirigentes do PSOL, ele já aceitou o convite do partido e vai assinar a ficha de filiação na segunda-feira, em São Paulo.



"Essa conferência é a síntese de um processo de construção coletiva que passou pela plataforma Vamos!, por encontros com vários setores da sociedade e tem a perspectiva de apresentar um projeto de esquerda para o Brasil", disse ele.

Mais de duas dezenas de nomes conhecidos confirmaram participação no evento. Alguns deles, como o cantor Caetano Veloso, que declarou voto em Ciro Gomes (PDT), não necessariamente apoiam a pré-candidatura de Boulos.



+ Bolsonaro alfineta Ciro, Dias e Temer nas redes sociais

Outro exemplo é o ex-ministro Tarso Genro, do PT, que enviou um vídeo.

Eleitorado. O escritor Frei Betto, que participou do primeiro governo do PT, também vai ao evento de hoje. "Apoio todos candidatos progressistas", afirmou Frei Betto.

Segundo o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), um dos objetivos do partido é disputar parte do eleitorado que pode ficar órfão de Lula. "Uma parcela do petismo vê no PSOL uma alternativa. Certamente vamos disputar este eleitorado", disse Valente. Com informações do Estadão Conteúdo.