COMPARTILHAR

Militares das Forças Armadas que moram em favelas do Rio de Janeiro estão usando máscaras para não mostrar o rosto e cobrindo as suas etiquetas de identificação com coletes à prova de bala em operações nas comunidades.

Segundo apurado pelo UOL, militares temem por represálias e não querem colocar as suas famílias em risco sendo identificados por criminosos durante operações da intervenção federal.



+ Ex-chefe do Bope vai comandar PM durante intervenção no Rio

Um soldado do Exército contou à reportagem que os comandantes não incluem os moradores em operações no bairro onde vivem. E que muitos militares não contam para ninguém qual é a profissão deles.



Parte dos agentes tem o rosto coberto com a chamada touca ninja, além de esconderem as identificações vestindo um colete a prova de balas sobre a jaqueta – onde existe uma etiqueta com o nome.

Estas atitudes têm sido aceitas pelos comandantes, que entendem se tratar da segurança do militar que mora na favela e da família dele.