COMPARTILHAR

Um grupo de advogados da Austrália pediu nesta sexta-feira (16) à Justiça do país uma ordem de prisão contra a líder de fato de Mianmar, Aung San Suu Kyi, por crimes contra a humanidade devido à expulsão dos rohingyas.

Suu Kyi, que está em Sydney para uma cúpula internacional, é apontada pelos autores como responsável pelo conflito que levou à saída 650 mil pessoas da minoria islâmica.



Eles tentam capturá-la baseando-se no princípio de jurisdição universal para esse tipo de crimes, assim como foi feito com o ex-ditador chileno Augusto Pinochet em 1998. Com informações da Folhapress.