COMPARTILHAR

A ex-presidente Dilma Rousseff usou suas redes sociais para se pronunciar sobre o assassinado da vereadora pelo Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL-RJ), na noite dessa quarta-feira (14), no centro da capital fluminense.

Além de Marielle, Anderson Pedro Gomes também foi baleado e morreu. Ele dirigia o carro em que a política estava, no momento em que criminosos emparelharam ao lado do veículo e realizaram vários disparos.



“Lamento e repudio a morte da ativista Marielle Franco, vereadora pelo PSOL, e de Anderson Pedro Gomes, seu motorista. Um ato covarde praticado contra uma lutadora social incansável. As circunstâncias dessas mortes – baleados dentro do carro, no Centro do Rio –, são absolutamente chocantes e podem indicar que foram executados", diz trecho de nota divulgada pela ex-presidente.

+ Planalto oferece PF e partidos cobram apuração de morte de vereadora



Ela cobrou investigação às autoridades. "Estou profundamente chocada, estarrecida e indignada. Espero que as investigações apontem os responsáveis por este crime abominável. As mortes violentas de Marielle e de Anderson precisam ser apuradas com o rigor da lei", pontuou.

Dilma lembrou que Marielle era defensora dos direitos humanos e lamentou a crise na segurança pública vivida pelo Brasil. "Tristes dias para o país onde uma defensora dos direitos humanos é brutalmente assassinada. Ela lutava por tempos melhores, como todos nós que acreditamos no Brasil. Devemos persistir e resistir nesse caminho. Minha solidariedade e votos de pesar às famílias de Marielle e Anderson, seus companheiros e amigos, também aos militantes do PSOL. Suas mortes não serão em vão”, afirmou.