COMPARTILHAR

O embaixador russo no Reino Unido, Alexander Yakovenko, disse nesta sexta-feira (16), que não existe "nenhuma prova" que demonstre que o ex-espião duplo russo Sergueï Skripal se encontre "gravemente doente".

Skripal, de 66 anos, e a filha, Yulia, de 33, estão hospitalizados em "estado crítico, mas estável" desde que, em 04 de março, foram vítimas de um ataque com um agente neurotóxico de fabricação russa, na localidade inglesa de Salisbury, segundo as autoridades britânicas.



Em declarações hoje feitas ao Channel 4 da televisão britânica, Yakovenko pôs em causa a versão oficial dos fatos e frisou que não existe "nenhuma prova" que demonstre que o estado de saúde que se encontra o antigo espião russo.

O diplomata classificou também a resposta do Governo de Theresa May, que apontou diretamente o Presidente russo, Vladimir Putin, como responsável pelo ataque, como uma "flagrante provocação" à Rússia.



Sobre a investigação que a polícia britânica está realizando sobre o caso, o embaixador russo considerou-a "pouco transparente e secreta", acrescentando que a informação divulgada nos comunicados governamentais "não é suficiente".

Yakovenko disse ainda que não sabe quanto tempo demoraria para Moscou adotar represálias perante às medidas impostas pelo Reino Unido após o envenenamento, entre as quais a expulsão de 23 diplomatas russos.

"A resposta do Reino Unido tem graves consequências para a relação entre os dois países", acrescentou.

Questionado sobre se considera May "uma mentirosa", Yakovenko respondeu que gostaria de ver "as suas declarações corroboradas por fatos". Com informações da Lusa.