COMPARTILHAR

Um ato de protesto contra o assassinato da vereadora Marielle Franco, do PSOL, reuniu cerca de 150 pessoas na Union Square, em Nova York. Grande parte dos manifestantes era composta por brasileiros, mas havia também estrangeiros.

"Precisamos mandar um sinal para o Brasil. Estão tentando tomar conta do nosso belo país e precisamos evitar isso. O Brasil não está à venda e a vida de Marielle não estava à venda", disse uma manifestante num megafone. "Ela denunciou a morte de jovens inocentes. Devemos resistir."



Em volta dela, nessa praça do sul de Manhattan, manifestantes seguravam cada um uma letra soletrando a frase "ela foi assassinada". Cartazes com retratos de Marielle Franco e estatísticas sobre a morte de negros no Brasil também foram mostrados no protesto.

Ativistas negros americanos também se juntaram ao ato, descrevendo como uma execução o que aconteceu nesta semana no Rio, quando a vereadora foi morta com quatro tiros na cabeça e no pescoço.Em coro, segurando flores e cartazes dizendo "Marielle, presente", o grupo recitou um discurso afirmando que a vereadora foi executada pela polícia. Também houve gritos de "fora, Temer". Com informações da Folhapress.