COMPARTILHAR

O ex-traficante do Rio de Janeiro, Antônio Bonfim Lopes, conhecido por 'Nem da Rocinha', disse que não recebeu a notícia da intervenção militar no estado com surpresa. Segundo o detento, a presença das Forças Armadas não "vai dar em nada".

"Os problemas do Rio não se resolvem com Exército ou polícia", afirmou Nem, em entrevista ao 'El País'.



O ex-traficante contou que, durante a sua gestão, o Exército ocupou a Rocinha em dois momentos. Mas, segundo ele, as operações não tiveram resultados concretos. Para ele, a intervenção não passa de uma ação com "finalidade eleitoreira".

"Você acha que não tem corrupção no Exército? Eu me lembro que alguns militares falavam pros nossos soldados: ‘poxa, não fica com fuzil na rua não, esconde isso porque depois a gente leva bronca do sargento", diz.



Segundo a reportagem, o próprio detento fez a seguinte pergunta: "Você acha que os políticos não sabem como resolver o problema da violência?". E ele mesmo respondeu, logo em seguida:

"O problema é que eles sabem que não serão reeleitos se fizerem isso. Sabem que isso exige um investimento em educação e políticas sociais que não têm retorno na urna, no curto prazo, mas que é algo para o médio prazo, para daqui a dez ou 15 anos. A preocupação maior é o mandato, não é resolver nada".

Nem disse ainda que os políticos continuam apostando no discurso de “de botar polícia na rua e endurecer penas”. No entanto, “está mais que provado que nada disso dá resultado. Nada disso funcionou até agora”, revela.

Atualmente, o ex-traficante cumpre penas que somam mais de 96 anos por tráfico de drogas, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Nem está preso em uma cela de 7 metros quadrados, na penitenciária federal de Porto Velho, localizada em Rondônia.

Leia também: Falha do Exército deixa morador do Rio detido por 36 horas