COMPARTILHAR

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou neste domingo (18) a tomada do centro da cidade de Afrin, na Síria, que era dominado por curdos, considerados "terroristas" por Ancara. O local foi tomado por forças sírias aliadas à Turquia, que tentava retirar seus opositores curdos da milícia YPG do enclave. A ofensiva segue há cerca de dois meses e já obrigou ao êxodo de ao menos 150 mil civis.

"As Forças Sírias Livres, que são apoiadas pelas forças armadas turcas, tomaram o controle total do centro de Afrin esta manhã às 8h30", anunciou o presidente turco.



+ Instalações do Hamas em Gaza sofrem bombardeio de Israel

Apesar do anúncio, ativistas do Observatório Nacional para os Direitos Humanos na Síria disseram que apenas metade da cidade está dominada pelas forças aliadas a Ancara, e que combates pesados estão em curso.



Um representante dos curdos confirmou a informação e disse que as forças curdas estão ajudando os civis a fugirem dos "massacres" perpetrados pelos turcos no enclave sírio. Os turcos também teriam atingido o principal hospital da cidade na sexta-feira (16), matando ao menos 10 pessoas, entre elas uma mulher grávida. A acusação, porém, foi negada pelo governo de Erdogan. Com informações da ANSA.