COMPARTILHAR

A estudante de farmácia Beatriz Carneiro de Araújo, de 20 anos, que foi queimada dentro do carro após ser atacada por uma mulher desconhecida, está internada em estado grave. A jovem teve 45% do corpo queimado, perdeu todo o cabelo, e está muito abalada, segundo revelou o advogado da família, Marcelo Borges.

O crime ocorreu na manhã de sexta-feira (16), em São Luís de Montes Belos, a 120 km de Goiânia, onde a vítima mora. O Corpo de Bombeiros informou que a jovem havia ido comprar pão em um supermercado e, quando voltou para o carro, uma mulher de 38 anos quebrou o vidro da porta com uma marreta, jogou álcool e ateou fogo.



O advogado afirma que a autora do crime não correu atrás de Beatriz nem disse nada a ela. "A Beatriz fechou a porta do carro, e ela quebrou o vidro. A Beatriz tentou sair, mas o carro apagou. Foi quando ela ateou fogo. A Beatriz conseguiu ligar o carro, mas bateu em um poste. Em seguida, saiu de dentro do carro com o corpo em chamas", disse Marcelo.

“Ela disse que não conhece a mulher, nunca a viu, que não foi ameaçada e que, se tivesse sido, teria falado para o pai . Ela contou chorando. Ela chora de dor e pelo abalo emocional”, afirmou o advogado em entrevista ao G1.



A jovem está internada o Hospital de Urgências de Anápolis (Huana). Segundo o boletim médico divulgado na tarde deste domingo (18), a estudante está internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ela está consciente e sem febre.

O advogado contou ainda que Beatriz sofreu uma lesão inalatória, pois inalou fumaça: "Ela contou que sentiu o gosto de álcool na boca".

A suspeita foi presa em flagrante logo depois do fato. O delegado Victor Avelino, responsável pelo caso, informou que a mulher ficou em silêncio durante o depoimento. Ele destacou que o principal motivo da investigação é "determinar a motivação do crime". A suspeita teve a prisão em flagrante convertida para preventiva.