COMPARTILHAR

O governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência, Geraldo Alckmin (PSDB), visitou nesta terça-feira (20) o Fórum Mundial da Água, dançou forró, exaltou as ações de seu governo contra a crise hídrica paulista e defendeu o fim de impostos federais sobre o saneamento.

Recebido no evento pelo seu secretário de recursos hídricos e presidente do Conselho Mundial da Água, Benedito Braga, Alckmin aproveitou o convite como palestrante em um painel sobre crises hídricas no Brasil para citar as obras de sua gestão na crise de 2014 no estado de São Paulo, "a maior dos últimos cem anos".



Para ele, São Paulo "é um exemplo no sentido de enfrentamento da crise e superação da crise". "A Sabesp é uma empresa extremamente aberta, a população teve uma resposta maravilhosa e rapidamente conseguimos equacionar uma seca que foi a maior dos últimos cem anos", disse.

Depois de exaltar o empréstimo ao Nordeste de bombas que captavam água do volume morto do sistema Cantareira durante o auge da crise hídrica em São Paulo, o governador defendeu mais recursos para saneamento e queda na tributação federal.



+ Candidatura à reeleição não é improvável, diz Michel Temer

+ TRF-4 marca julgamento de último recurso e Lula pode ser preso dia 26

"Precisamos de financiamento, de recursos para investir em saneamento básico. O governo federal tributa saneamento, PIS-Cofins. Ora, não tem sentido, governar é escolher", disse. "A minha proposta é que não houvesse tributação sobre saneamento básico para esse recurso ajudar nos investimentos e fortalecer a garantia de segurança hídrica", completou.

O debate foi acompanhado pelo ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg. A sessão também foi prestigiada pelo príncipe-herdeiro do Japão, Naruhito.

FORRÓ E ÁGUA

Na saída do evento, com sala lotada, Alckmin cumprimentou deputados aliados e membros da Sabesp e saiu para um cafezinho. Chegou a abrir a carteira, mas ficou livre de pagar a conta ao descobrir que precisava de um cartão específico para o consumo no evento -assessores se encarregaram disso.

Em seguida, saiu para uma visita ao estande Espaço São Paulo, mantido pelo governo do Estado dentro da área de exposições do fórum, que ocorre em Brasília. A visita, porém, não parou ali. Após fotos e pausa em uma área exclusiva, mas sempre visível aos fotógrafos, seguiu para o estande do Ministério da Integração dedicado à transposição do rio São Francisco e assistiu a um vídeo-teatro sobre a obra.

Um forró começou a tocar. Puxado ao meio da dança por Barbalho, que já dançava com o grupo de atores, Alckmin não hesitou e se juntou ao grupo.

Em seguida, passou por ao menos outros dois estandes, um da Fundação SOS Mata Atlântica e uma microestação de tratamento de efluentes. No caminho, ganhou abraço de um participante que o chamou de "presidente" e ouviu gritos de "Fora, Alckmin".

A previsão é que o PSDB lance oficialmente a pré-candidatura de Alckmin à Presidência nesta terça-feira (20). Ele foi o único tucano que se inscreveu para disputar o cargo. Com informações da Folhapress.