COMPARTILHAR

As notícias falsas ou fake news são um fenômeno que vem tomando grande proporção com o crescimento da internet. São notícias erradas, falsas e desinformativas, boatos, fofocas, rumores ou informações sem comprovação que são espalhadas deliberadamente por qualquer meio, principalmente pela internet e suas redes sociais.

O objetivo geralmente é obter algum ganho político ou econômico. Há especialistas que acreditam que podem ser usadas também para influenciar em eleições. O tema será debatido em sessão temática no plenário do Senado Federal, nesta quarta-feira (21), a partir das 13h.



Requerida pelo senador Telmário Mota (PTB-RR), a sessão temática vai discutir as notícias falsas na internet, seu alcance, os problemas que causam e a necessidade de regulamentação do tema. Participarão do encontro representantes da Polícia Federal, Polícia Civil, Ministério Público Federal e Agencia Brasileira de Inteligência (Abin).

+ Freixo: 'Marielle foi fruto de uma vingança que chegou sem ameaça'



+ PSOL representa desembargadora no CNJ por calúnias contra Marielle

Também vão participar dos debates o engenheiro e especialista em tecnologia da segurança Wanderley Abreu Júnior, o ex-haker Daniel Nascimento, o professor Marco Aurélio Thompson e a jornalista do jornal Correio Braziliense Ana Dubeux.

Além deles, foram convidados o jornalista e empresário Manoel Fernandes, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral Tarcísio Vieira, o presidente do Instituto Brasileiro de Direito Digital, Frederico Ceroy, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux e a diretora do Projeto Credilbilidade, Ângela Pimenta. As informações são da Agência Senado.

“O tema fake news está a cada dia mais presente em discussões tanto no cenário político como no quotidiano dos cidadãos. A proliferação de notícias falsas, sobretudo nas redes sociais e internet, não só influencia as pessoas de forma errônea, tendenciosa e perigosa, mas também afeta a vida de muitos. Esse termo não era utilizado até pouco tempo, sua conceituação, o alcance que tem, consequências e responsabilização dos agentes são temas ainda que não atingiram um consenso e a necessidade de discutir, regulamentar e controlar essa nova realidade é iminente”, afirma Telmário Mota na justificação do requerimento para realização da sessão temática.