COMPARTILHAR

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou hoje (20) que o julgamento do habeas corpus protocolado para evitar a eventual prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ocorrerá nesta quinta-feira (22). Dessa forma, caberia ao ministro Edson Fachin, relator do caso, levar a questão para julgamento sem agendamento prévio, na Segunda Turma da Corte ou no plenário.

Em janeiro, o ministro Edson Fachin negou o pedido da defesa do petista e enviou a questão para julgamento pelo plenário da Corte.



+ Saiba o que pode acontecer com Lula a partir do dia 26

O anúncio foi feito por Cármen Lúcia no mesmo dia em que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) marcou o julgamento dos embargos de declaração do ex-presidente Lula, último recurso que cabe ao petista na Corte. Ocorrerá na segunda-feira (26), às 13h30.



Os recursos não mudam o resultado, apenas pedem esclarecimentos sobre a sentença. Os juízes federais da 8ª turma do TRF-4, responsáveis pelo julgamento de Lula, já afirmaram que ele deve começar a cumprir a pena com o fim do trâmite do processo na segunda instância, segundo entendimento do STF de 2016. Caberá ao juiz Sergio Moro, da primeira instância, expedir a ordem de prisão. Ele também já se manifestou favoravelmente ao imediato cumprimento da sentença.

Lula foi condenado pelo tribunal a 12 anos e um mês de prisão, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex no Guarujá (SP).