COMPARTILHAR

O presidente de Mianmar Htin Kyaw anunciou a sua renúncia ao cargo nesta quarta-feira (21). Segundo a mensagem publicada na página do gabinete da presidência no Facebook, o político teria tomado a decisão com o objetivo de "descansar". O líder de 71 anos estava no cargo desde março de 2016.

Conforme relata a agência EFE, a decisão veio na sequência do vazamento da informação de que Htin Kyaw teria viajado ao exterior diversas vezes para passar por tratamento médico. O jornal "Frontier Myanmar" revelou que o então presidente foi até Cingapura em janeiro, em sua última viagem relacionada a esta causa. A informação foi confirmada pelo governo da Liga Nacional pela Democracia (NLD).



+ Projeto de lei amplia definição de estupro na Europa

O cargo de presidente de Mianmar será assumido interinamente pelo primeiro vice-presidente, Myint Swe. Após um prazo de sete duas, segundo normas estabelecidas pela Constituição, o Parlamento deve nomear um substituto o posto até hoje ocupado por Htin Kyaw – um cargo de representação sem caráter executivo.



Sobre o Governo

Após quase 50 anos de ditadura militar, a presidência de Htin Kyaw faz parte do primeiro governo democrático do Mianmar, ao lado de Suu Kyi (vencedora do Prêmio Nobel da Paz em 1991 e secretária-geral da Liga Nacional pela Democracia). Eles foram eleitos em 30 de março de 2016.