COMPARTILHAR

Enfrentando protestos pelo terceiro dia consecutivo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu, nesta quarta-feira (21), que seus opositores ponham a mão na consciência e comparem as conquistas dos governos petistas com as de seus antecessores e do governo Temer.

"Vão mandar para nós um pedido de desculpas por tanta grosseria e tanta falta de respeito", discursou.



No auditório do Instituto Federal Farroupilha, campus São Vicente do Sul, Lula disse que Deus há de iluminar as pessoas que carregam ódio no coração.

+ Cármen Lúcia: STF julgará pedido para evitar prisão de Lula amanhã



"Não pensem que fico nervoso com essa gente gritando, não. Preconceito sempre existiu. Mas o que essa gente tem não é preconceito. É ódio", disse.

Lula listou os casos de preconceito sofrido ao longo de sua trajetória, entre eles o analfabetismo.

"Já comi o pão que o diabo amassou. Não estou disposto a levar desaforo para casa", declarou.

Cercado por estudantes, Lula respondeu aos que o acusam de antecipação de campanha, lembrando que São Vicente do Sul tem 8.000 habitantes. "Aqui tem mais gado que gente. E gado não vota".

Lula afirmou que, com a caravana, pretende conhecer o país que espera voltar a governar e alertar os brasileiros para perdas sociais em curso: "Com meu curso de torneiro mecânico, eu tinha mais chance de empregos que vocês". Com informações da Folhapress.