COMPARTILHAR

A União Europeia decidiu adotar a "linha dura" contra a Rússia no caso do envenenamento do ex-espião Serghei Skripal em Salisbury, no Reino Unido. Em reunião do Conselho Europeu nesta quinta-feira (22), em Bruxelas, os líderes do bloco afirmaram que é "altamente provável" que Moscou esteja por trás do ataque.

A informação foi dada pelo presidente do principal órgão político da UE, Donald Tusk, via Twitter. "O Conselho Europeu concorda com o governo do Reino Unido que é altamente provável que a Rússia seja responsável pelo ataque de Salisbury e que não há outra explicação plausível", afirmou.



+ Por cuidados e atenção, idosas cometem delitos para serem presas

Além disso, segundo o jornal "Financial Times", ao menos cinco países da União Europeia estudam realizar uma "expulsão coordenada" de diplomatas russos em resposta à tentativa de homicídio contra Skripal. As nações em questão seriam França, Polônia e os três países bálticos: Letônia, Lituânia e Estônia, que fazem fronteira com a Rússia.



No entanto, de acordo com o diário, a medida só será tomada com o aval dos outros países do bloco. A primeira-ministra britânica, Theresa May, já expulsou 23 diplomatas russos, em resposta ao que ela chamou de "primeiro ataque químico em solo europeu desde a Segunda Guerra Mundial".

A ação contra Skripal foi realizada com um agente nervoso e também atingiu sua filha. Ambos continuam internados. Ele era espião dos serviços secretos militares de Moscou, mas atuava como agente duplo para a inteligência britânica. (ANSA)