COMPARTILHAR

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, afirmou nesta sexta-feira (23), que a tomada de reféns em curso num supermercado no sudoeste do país é "uma situação grave", acrescentando que tudo leva a crer que trata-se de um ataque terrorista.

Um homem que afirmou agir em nome do grupo 'jihadista' Estado Islâmico entrou num supermercado cerca das 11:00 (08:00 em Brasília) em Trèbes, arredores de Carcassonne, no sudoeste de França, e fez reféns, segundo a imprensa.



Segundo a televisão BMFTV, pouco antes do início do sequestro, um polícia que corria com outros três foi atingido a tiro no ombro, por um homem que disparou de um automóvel.

Segundo noticia o Le Monde, a ligação entre os dois ataques é altamente provável, mesmo que ainda seja impossível confirmá-lo completamente.



Um carro foi encontrado no estacionamento e foi identificado como pertencente a um marroquino conhecido pelo DGSI. O fato de este homem ser o autor do refém é altamente possível, mas também não confirmado com certeza.

Ainda segundo o jornal francês, o Ministério do Interior confirma duas mortes.

"O balanço é apenas temporário e, infelizmente, pode aumentar. Três pessoas ficaram feridas, uma delas muito seriamente e a operação não acabou. Pedimos à mídia para se certificar de não espalhar informações que possam afetar a intervenção em andamento das unidades policiais e pedir cautela na informação retransmitida", diz comunicado.