COMPARTILHAR

A Espanha vai expulsar dois diplomatas da embaixada da Rússia em Madrid, juntando-se assim aos Estados Unidos e a pelo menos 14 outros Estados-membros da UE que também adotaram a medida devido ao envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal, no Reino Unido.

"O governo de Espanha decidiu expulsar dois funcionários diplomáticos da Embaixada da Federação da Rússia em Madrid, que deverão, consequentemente, abandonar o território nacional espanhol", indica uma nota do Ministério de Exteriores da Espanha (equivalente ao Ministério de Relações Exteriores no Brasil).



+ Londres celebra 'maior expulsão de agentes russos da história'

Vários Estados-membros da UE anunciaram nesta segunda-feira (26) vão expulsar diplomatas russos dos seus territórios, tal como já tinha feito o Reino Unido, devido ao envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal, e da sua filha Yulia, em Salisbury, no sul de Inglaterra, no último dia 4 de março.



As autoridades britânicas identificaram o agente neurotóxico usado como Novichok, um gás produzido originalmente nos anos 1970, na União Soviética. Londres ainda acusou que o Kremlin e Putin estariam diretamente por trás do ataque.

Madrid afirma que "desde o princípio considerou que o atentado perpetrado em Salisbury, com uso de um agente neurotóxico, é um acontecimento de extrema gravidade, que representa uma séria ameaça à segurança coletiva e ao Direito Internacional".

"Esta decisão está, além disso, em consonância com o que foi acordado por todos os Estados-membros da UE no último Conselho Europeu de 23 de março", salienta o governo espanhol.

O executivo espanhol reiterou "uma vez mais", a sua solidariedade com o Reino Unido, bem como para com as vítimas.

Um responsável europeu citado pela agência France Presse salientou que cabe a cada Estado-membro anunciar as expulsões do seu território, explicando que esta medida deverá envolver cerca de 30 diplomatas russos, aos quais se juntam os 23 que já tinham sido expulsos pelo Reino Unido.

Os países envolvidos nas expulsões são: Alemanha (4), França (4), Polônia (4), a República Checa e a Lituânia (3 cada), a Itália, a Dinamarca, a Holanda e a Espanha (2 cada um), a Estónia, a Letônia e a Finlândia (1 cada). Os outros países são a Romênia, a Suécia e a Croácia, indicaram fontes diplomáticas.

Do outro lado do Atlântico, os Estados Unidos anunciaram ter expulsado 60 "espiões" russos, enquanto o Canadá também anunciou 13 expulsões. A Ucrânia anunciou igualmente ter expulsado 13 diplomatas russos. Com informações da Lusa.