COMPARTILHAR

Durante a passagem do ex-presidente Lula pelo município de São Miguel do Oeste (SC), nesse domingo (25), manifestantes voltaram a atacar a comitiva petista. Desde o último dia 19, a caravana segue por cidades da região Sul do país e tem enfrentado protestos.

Ontem, Lula discursou protegido por guarda-chuvas, para evitar ser atingido por ovos. “Enquanto canalhas jogam ovos aqui, há milhões de brasileiros que foram dormir agora sem ter um ovo para comer!”, retrucou o ex-presidente.



Ele ainda disse esperar, de acordo com informações de O Globo, que a Polícia Militar desse um "corretivo" nos agressores. "Eu espero que a PM tenha a responsabilidade de entrar naquela casa, pegar esse canalha e dar um corretivo nele, que ele precisa ter pra não atacar ovo nas pessoas", discursou Lula.

+ Mesmo sendo 'ficha suja', Lula pode registrar candidatura; entenda



+ Meirelles decide renunciar à Fazenda e tentar candidatura ao Planalto

Lula, porém, afirmou que não iria revidar. "Esse cidadão, na verdade, está esperando que a gente fique nervoso, suba lá e dê uma surra nele. A gente não vai fazer isso", disse o ex-presidente no evento de domingo. "Esse cara ou é um débil mental, sabe… Ou ele não tem qualquer apreço pelo ser humano. Porque esse canalha deveria saber que tem crianças aqui", criticou.

Além de ovos, foram jogadas pedras em direção ao palanque onde estava o ex-presidente, no sábado (24), no município de Chapecó, também em Santa Catarina. Uma delas atingiu o ex-deputado Paulo Frateschi, que foi levado a um hospital com ferimento grave na orelha. Ele passa bem. Ainda houve confrontos na praça da cidade entre militantes petistas e grupos anti-Lula.

Já em Nova Erechim, os manifestantes danificaram um dos ônibus que levavam a comitiva petista.

Nas cidades do Rio Grande do Sul – Santa Maria, São Borja, Entre-Ijuís, Cruz Alta e Passo Fundo – também houve protestos violentos contra a caravana.