COMPARTILHAR

A França realizou nesta quarta-feira (28) uma cerimônia solene em homenagem ao gendarme Arnaud Beltrame, morto após trocar de lugar com uma refém no ataque a um supermercado de Trèbes, no sul do país.

A homenagem ocorreu no Palácio dos Inválidos e contou com a presença do chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, a equipe de governo, os ex-presidentes François Hollande e Nicolas Sarkozy, além de parentes e outros políticos. Segundo Macron, Beltrame "era um desses filhos que a França se orgulha ter".



+Jornalistas são sequestrados na fronteira entre Equador e Colômbia

O policial foi morto na última sexta-feira (23) pelo terrorista Radouane Ladkim ligado ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI). Durante 10 minutos as autoridades permaneceram em silêncio. Logo após, o corpo do agente saiu do Palácio em um cortejo fúnebre. Beltrame foi nomeado como comandante da Legião de Honra a título póstumo.



"Ele fez uma doação de sua vida para proteger os nossos cidadãos". Beltrame 'representava o espírito de resistência dos franceses", disse Macron.

"Que o seu compromisso nutra a vocação de toda a nossa juventude", acrescentou o presidente ressaltando que o terrorismo no país ocorre por um "islamismo subterrâneo, que avança através das redes sociais e atua clandestinamente sobre mentes frágeis e instáveis". Com informações da Ansa.