COMPARTILHAR

O Instituto Médico-Legal (IML) do Rio registrou falta d'água nesta sexta-feira (30), atrasando a liberação de corpos. Aldarlene Pinheiro Gomes, de 53 anos, avó do menino Lauan Lucas Gomes da Conceição, de 11 anos, contou ao Extra que não pode retirar o corpo do neto para o sepultamento porque não há água para lavagem dos corpos.

"Os funcionários do IML estão sendo muito educados com a gente tentando dar uma solução para o nosso problema. Mas eles disseram que a bomba d'água está com defeito. Não há como solucionar o problema porque não existe técnico em outra bomba disponível. Eu quero o corpo do meu neto. Precisamos enterrá-lo. Não bastasse a dor e o sofrimento que a gente tá vivendo, ainda tem essa situação bastante triste", reclamou.



+ Ato lembra mais de 40 crianças mortas em tiroteios no Rio

Lauan estava na beira da água, em Leme, quando uma onda o puxou para dentro do mar, contou um tio da criança.



Notícias ao Minuto

A família do menino foi orientada a voltar para a casa e retornar ao local mais tarde. A Polícia Civil informou em nota que "o problema foi solucionado no fim da manhã e não alterou os trabalhos no órgão".