COMPARTILHAR

O núcleo próximo ao presidente Michel Temer recebeu com alívio a notícia da revogação da prisão dos envolvidos na Operação Skala, na noite deste sábado (31). No entanto, de acordo com o blog de Voldo Cruz, do G1, a avaliação de assessores do emedebista é a de que o desgaste político causado pelas detenções não tem volta e prejudica as pretensões de Temer de disputar um novo mandato.

Para os assessores do presidente, a única prisão que poderia ser justificável seria a do coronel João Batista Lima Filho, porque ele vinha evitando prestar depoimento nos últimos nove meses. O militar manteve decisão de não depor.



+ Planalto confirma novos ministros da Saúde e dos Transportes

O Palácio do Planalto permanece com a mesma visão manifestada em nota divulgada na sexta-feira (30), de que a Operação Skala pretenderia "tirar da disputa política" o presidente Michel Temer.



Neste domingo (1º), o presidente vai prosseguir costurando acordos para sua reforma ministerial na busca de reorganizar sua base aliada e evitar, por exemplo, a autorização de uma eventual terceira denúncia contra ele na Câmara dos Deputados.