COMPARTILHAR

O Ministério Público Federal em Brasília incluiu na denúncia do chamado "quadrilhão do MDB" o advogado José Yunes e o coronel João Baptista Lima Filho, amigos de Michel Temer presos na quinta-feira (29).

Os dois foram acusados pela força-tarefa da Operação Greenfield de integrar uma organização criminosa, juntamente com integrantes do partido. A denúncia foi apresentada em setembro pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra Temer e alguns de seus aliados, como o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e o ex-ministro Geddel Vieira Lima.



+ Mariz afirma que Temer está 'muito aborrecido' com prisão de amigos

Depois que a Câmara barrou o prosseguimento da ação contra Temer, o caso foi remetido à Justiça Federal no DF para que os envolvidos sem prerrogativa de foro sejam processados.



No último dia 21, o MPF ratificou a denúncia original e fez um aditamento, acrescentando cinco acusados, entre eles Yunes e Lima. A informação foi divulgada pelo "O Globo" neste sábado (30) e confirmada pela reportagem.

Também foi denunciado o corretor Lúcio Bolonha Funaro.

O caso tramita na 12ª Vara de Brasília. Se a denúncia for aceita, Yunes e Lima se tornarão réus. As defesas de Yunes e Lima não comentaram as acusações. Com informações da Folhapress.