COMPARTILHAR

Em delação à Polícia Federal, os ex-executivos da Odebrecht Carlos Armando Guedes Paschoal e Benedicto Júnior afirmaram que, em 2010, pagaram R$ 500 mil em duas parcelas ao atual ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, uma delas em um hotel de São Paulo.

O tesoureiro de Nunes à época, Rubens Rizek, nega e diz não ter se hospedado em hotéis naquele ano. As informações são do jornal O Globo.



Agora, com o objetivo de cruzar as informações, a Policia Federal enviou ofícios a 13 hotéis da zona sul da capital paulista solicitando a lista de hóspedes e dos respectivos quartos relativa a todo o ano de 2010.