COMPARTILHAR

Um dos três sócios do Grupo Libra que estavam em viagem ao exterior, Gonçalo Borges Torrealba desembarcou, por volta das 8 horas desta segunda-feira (2), no aeroporto de Cumbica (SP), e deve se apresentar à Polícia Federal (PF) para prestar depoimento, conforme determinação do ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ele é alvo da Operação Skala e estava em Nova York, nos Estados Unidos, de acordo com informações do portal G1. Os seus sócios Rodrigo Borges Torrealba e Ana Carolina Borges Torrealba Affonso também estão sendo investigados em inquérito que apura possíveis irregularidades na edição do Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017), assinado pelo presidente Michel Temer, em maio do ano passado, e que supostamente teria favorecido a empresas do ramo portuário, caso do Grupo Libra.



Em despacho do último domingo (1º), Barroso, relator do caso no Supremo, também afirmou que, após os depoimentos dos três, ele ouvirá a Procuradoria Geral da República (PGR) sobre a necessidade ou não da decretação de prisão temporária.

+ 'Meu voto já está pronto', diz Fachin sobre habeas corpus de Lula



Cerco

A Operação Skala prendeu, na última quinta-feira (29), um total de 13 pessoas, conforme a Agência Brasil. Entre elas estão o ex-assessor do presidente Michel Temer, José Yunes; o ex-ministro da Agricultura e ex-presidente da estatal Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) Wagner Rossi; o presidente do Grupo Rodrimar, Antônio Celso Grecco; e o coronel João Batista Lima, amigo de Temer.

No sábado (31), o ministro revogou as prisões temporárias e determinou a imediata soltura dos presos. Ele acolheu o pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Segunda ela, as medidas cumpriram o objetivo legal.