COMPARTILHAR

Pedido para que a Rússia participasse das investigações sobre o envenenamento do ex-espião Serguei Skripal foi rejeitado nesta quarta (4) em uma reunião da Opaq (Organização para a Proibição de Armas Químicas).

A proposta russa foi derrotada por 15 votos a 6, em encontro realizado em Haia, na Holanda. A Opaq deve apresentar na próxima semana resultados de seu inquérito independente sobre o caso.



Londres qualificou a proposta russa de perversa e disse que não havia previsão nas regras da organização de que um possível agressor participasse de investigações.

"Parece claro que a Rússia nunca vai aceitar a legitimidade de uma investigação de armas químicas a não ser que ela chegue às respostas que a Rússia quer", disse nota do representante britânico na Opaq, John Foggo -a reunião foi a portas fechadas.



Londres acusa governo de Vladimir Putin pelo envenenamento de Skripal, 66, e sua filha, Iulia, 33, no dia 4 de março na cidade inglesa de Salisbury. Moscou nega.

O governo russo disse que espera um pedido de desculpas de Londres e de Washington pelas acusações após um laboratório militar britânico divulgar na terça-feira (3) que não conseguiu provar que o agente neurotóxico usado no ataque tenha sido produzido na Rússia.

"É necessário acabar com este jogo irresponsável", disse o diretor do serviço de Inteligência externa russo, Serguei Naryshkin. Com informações da Folhapress.

Leia também: Síria é tema de cúpula na Turquia