COMPARTILHAR

A possibilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser preso e enviado ao sistema prisional do Paraná fez com que quatro órgãos de inteligência do governo paranaense passasse a avaliar a escolha de um local para acomodar o petista. As agências de inteligência são ligadas à Polícia Militar, à Polícia Civil, ao Departamento Penitenciário (Depen) e à Secretaria de Segurança Pública.

Nesta quarta-feira (4), o Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar o habeas corpus preventivo de Lula. O ex-presidente pode ser preso caso a Corte decida pela execução da pena após a decisão de segunda instância.



O serviço de inteligência do Depen está avaliando as condições internas dos presídios, incluindo risco de animosidade de presos e carcereiros contra o ex-presidente. A publicação destaca que é comum agentes penitenciários serem hostis a petistas, por causa da ligação do partido com movimentos de direitos humanos.

+ Lula pode ser preso hoje? Entenda o que acontece após decisão do STF



De acordo com apuração da Folha de S. Paulo, o local considerado adequado pelo governo paranaense para receber Lula seria o Complexo Médico Penal (CMP), de Pinhais (PR), conhecido como presídio da Lava Jato. Desde março de 2015, a sexta galeria (pavilhão isolado no fundo do presídio) acomoda presos da Lava Jato.

A sexta galeria tem hoje dez celas desocupadas. Se Lula for mandado para lá, encontrará o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Netto, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB) e o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB).

Lula não poderia ir para outros presídios do estado pois há grande presença de presos de facções criminosas, o que colocaria o ex-presidente em risco.

As equipes planejam evitar tumultos em uma eventual recepção ao ex-presidente no Paraná. A possibilidade de instalação de uma sala no aeroporto para que Lula fizesse o exame de corpo delito assim que o avião pousasse chegou a ser cogitada. No entanto, a alternativa foi descartada pois, em 15 de março, foi inaugurado o novo prédio do Instituto Médico Legal (IML), em Curitiba. O novo prédio do IML permite que o preso entre para fazer o exame por uma garagem, tendo sua imagem preservada.

+ Petistas preparam plano para eventual prisão de Lula

Além disso, Lula teria esquema especial na triagem, que é o período em que o preso fica separado dos outros para se adaptar à cadeia. Segundo um alto funcionário do sistema penal paranaense, o ex-presidente pode ficar num quartel do Exército ou da Aeronáutica cerca de 15 a 30 dias, antes de seguir para o local onde cumpriria pena.

Outra hipótese não descartada é a possibilidade de o ex-presidente ficar mais tempo isolado, por questões de segurança.

Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por juízes do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) no caso do tríplex em Guarujá. O juiz federal Sergio Moro é o responsável por determinar o local para o cumprimento da pena.