COMPARTILHAR

Na tarde desta quinta-feira (5), o juiz Sérgio Moro autorizou a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mais cedo, o Tribunal Regional Federal da 4ª região ((TRF-4), sediado em Porto Alegre, despachou o ofício com a autorização.

Veículos como o Reuters, AFP, El Pais, Expresso, Clarín não tardaram para repercutir o mandado de prisão do ex-presidente brasileiro.



O petista tem até às 17h de sexta-feira (6) para se entregar voluntariamente, em Curitiba. Foi "vedada a utilização de algemas".

Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês pelo caso do triplex do Guarujá.



O jornal argentino Clarín destaca que a decisão veio a menos de um dia de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter negado o pedido de "habeas corpus" preventivo feito pela defesa do petista.

Com o envio de ofício de autorização para a detenção de Lula, o TRF-4 não esperou o prazo para a defesa de Lula apresentar novos "embargos de declaração", que terminaria em 10 de abril.

Leia também: Moro determina prisão de Lula