COMPARTILHAR

Em entrevista ao programa Por Dentro do Governo na manhã desta quinta-feira (5), o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, ressaltou os cuidados da pasta com a conservação das áreas brasileiras, seja água ou vegetação. “Estamos ampliando as áreas de proteção do nosso litoral e hoje mesmo nós vamos, no Palácio do Planalto, criar a Reserva Extrativista de Itapetininga, a Reserva Extrativista Baía do Tubarão, vamos fortalecer as comunidades extrativistas e ribeirinhas”, adiantou.

+ Lula pode ser candidato e eleito mesmo se estiver preso? Entenda



O ministro reforçou, diversas vezes, a relevância da atuação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), parceiro em fiscalização contra agressões aos habitats, desmatamento ilegal, descuido com nascentes, entre outros temas.

Mencionou também a conversão das multas por danos ambientais, que está prevista na Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9.605/1998) e permite ao autuado ter a penalidade substituída pela prestação de serviços de preservação, melhoria e recuperação do meio ambiente. “Agora na conversão das dívidas, das multas, abre-se uma janela de oportunidades para que algumas questões dos estados possam ser contempladas”, explicou.



Água

Questionado sobre a atenção direcionada à água, o ministro comentou que o tratamento que se dá hoje aos cursos d’água não é o mesmo tratamento de antigamente. Para ele, “hoje, em um mundo com quase 8 bilhões de habitantes, quando a natureza já não consegue repor aquilo que se retira dela, em um mundo onde o aquecimento é uma realidade que está mudando o regime de chuvas, é preciso que a gente tenha um relacionamento diferente. É preciso a união dos entes federativos”.

Barragens

Ao comentar a tragédia de Mariana, em Minas Gerais, o ministro relembrou a visita que realizou ao local e celebrou ações eficazes do Ibama, da Agência Nacional de Águas (ANA) e do ministério em reparações dos danos. “A ANA fez um levantamento de todas as barragens, no Brasil todo, e apontou as fragilidades”, explicou, acrescentando que elas foram comunicadas ao Ministério da Integração e aos estados. (Portal Brasil)