COMPARTILHAR

Durante atos contra e a favor de Lula, na noite deste sábado (7), em Curitiba, pelo menos nove pessoas ficaram feridas, entre elas, três crianças. Muitos manifestantes usaram as redes sociais para denunciar que a Polícia Militar agiu com truculência contra militantes pacíficos.

Comandante do 20° Batalhão da Polícia Militar e coordenador da operação, o tenente-coronel Mário Henrique do Carmo disse que a ação policial foi bem-sucedida. Questionado sobre o uso de bombas contra manifestantes, Carmo disse que houve duas explosões no meio dos manifestantes.



+ Cordão humano para proteger rendição de Lula foi ideia de filho dele

"Eles explodiram duas bombas no chão. E, pelo efeito das explosões, eles avançaram contra o portão da Polícia Federal (PF), e esta, por sua vez, os repeliu”, disse o tenente-coronel. De acordo com Carmo, após a explosão das bombas da PF, os manifestantes correram para todos os lados, e a PM usou balas de borracha para evitar a aproximação entre os grupos com ideologias diferentes.



Perguntado sobre rojões lançados por grupos contra o ex-presidente, que caíram no estacionamento do prédio da Polícia Federal, o comandante respondeu que não poderia se posicionar porque não viu o material.