COMPARTILHAR

O exército do Egito anunciou neste domingo (8) a morte de quatro 'takfiri' (radicais) e a prisão de 252 suspeitos no âmbito da operação militar que decorre no norte e no centro da península do Sinai, no nordeste do país. "Foram mortos três pessoas takfiri (radicais) muito perigosas e foram presos outros dois indivíduos no centro do Sinai", afirmou o exercito em comunicado, sem dizer quando terminará a operação militar.

Em outra ação no norte do Sinai, os militares mataram um outro 'takfiri' que tinha "grandes somas de dinheiro, vários telefones e uma quantidade de haxixe".



+ Sacerdote é preso no Vaticano por pornografia infantil

Também foram presos 250 suspeitos, "que eram procurados", tendo sido entregues às autoridades competentes.



O comunicado se refere também que foram "destruídos 386 esconderijos, tendo sido encontradas 16 granadas de mão, oito morteiros, munições, roupa militar e uma estação emissora".

Desde o começo da operação, em 9 de fevereiro, morreram 22 militares e 166 presumíveis terroristas, segundo os comunicados divulgados pelo exército egípcio. No norte do Sinai foi imposto o estado de exceção militar. Com informações da Lusa.