COMPARTILHAR

Ekaterina Fedyaeva, de 27 anos, morreu em um hospital de Moscou, na Rússia, depois de os médicos se enganarem e injetarem no corpo dela uma solução com formaldeído, substância utilizada para embalsamar corpos. O produto tem o poder de retardar a putrefação dos cadáveres.

Tudo aconteceu durante uma cirurgia. Os médicos deviam ter colocado em Ekaterina uma simples solução salina, mas um suposto erro médico levou os médicos a utilizarem a substância que acabou causando a morte da jovem, segundo o jornal Mirror.



+ Polícia prende suspeito de planejar ataque em maratona em Berlim

Momentos após a solução entrar no organismo dela, Ekaterina começou a sentir dores por todo o corpo e a ter convulsões. Dois dias depois, ela entrou em coma e foi ligada a uma máquina de suporte de vida. No entanto, a alternativa não surtiu efeito e os órgãos vitais começaram a falhar.



A direção do hospital já admitiu que o caso foi um erro médico e agora um inquérito foi aberto para investigar as circunstâncias da morte.