COMPARTILHAR

Os militantes que fazem a vigília de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) somavam um grupo de aproximadamente 700 a 1.000 pessoas por volta das 21 horas deste domingo, 8, segundo estimativa informal realizada por policiais militares, que trabalham no monitoramento do grupo.

A instituição, entretanto, não divulgou um balanço oficial sobre o tamanho da manifestação. Os apoiadores estão concentrados em uma área que fica a 100 metros do prédio da Polícia Federal em Curitiba, onde foi montada uma faixa de isolamento para evitar tumultos.



+ Agente diz para piloto de avião com Lula: 'Leva e não traz mais'; ouça

Pela tarde, a presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), senadora Gleisi Hoffmann, disse que os militantes que cobram a liberdade de Lula permanecerão no local por prazo indeterminado. "Não vamos sair daqui enquanto Lula não sair", afirmou Gleisi, durante entrevista coletiva.



Ela também demandou uma sindicância para investigar a ação da Polícia Federal na noite de sábado, 7, quando os apoiadores do ex-presidente foram dispersados com uso de bombas de gás. "Vai ser muito difícil tirar a gente daqui", emendou a senadora. Com informações do Estadão Conteúdo.