COMPARTILHAR

Um tribunal militar egípcio condenou, nesta terça-feira (10), 36 pessoas à pena de morte por envolvimento em ataques a igrejas no Egito, que provocaram dezenas de mortos, entre 2016 e 2017, segundo os advogados de defesa.

Os advogados disseram que ao todo são 48 pessoas que estão sendo julgadas por este tribunal militar, por envolvimento em ataques a igrejas coptas no Cairo, Tanta e Alexandria, entre 2016 e 2017, de acordo com a agência de notícias francesa AFP.



Esses ataques, reivindicados pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI), mataram, pelo menos, 80 pessoas.

Os coptas, uma minoria cristã que representa 10 % dos 96 milhões de habitantes do país, foram particularmente alvo de ataques do EI nos últimos meses.



O tribunal militar submeteu esta sentença de morte ao grande mufti do Egito, conforme exigido por lei. A opinião desta autoridade religiosa é pedida sempre que uma sentença de morte é pronunciada, mas não é vinculativa para a justiça. Com informações da Lusa.

Leia também: Agência europeia alerta para possíveis ataques aéreos à Síria