COMPARTILHAR

O envio de um grupo de ataque naval, liderado pelo porta-aviões USS Harry S. Truman, ao Mediterrâneo é de rotina e visa garantir a segurança no mar, alegou a assessoria de imprensa do Pentágono à Sputnik.

Mais cedo, imprensa norte-americana informou que o porta-aviões USS Harry S. Truman, acompanhado por diversos de navios de guerra, partirá nesta quarta-feira (12) para a costa do Oriente Médio e Europa.



A notícia provocou certo alvoroço, já que o presidente dos EUA, Donald Trump, vem prometendo adotar medidas de retaliação ao suposto ataque com armas químicas na cidade de Douma, na Síria. Washington e seus aliados, mesmo antes do fim das investigações, acusam Bashar Assad de ser o responsável pelo incidente.

"Durante as manobras, o grupo de ataque atuará nas zonas de responsabilidade da 5ª e 6ª frota dos EUA, realizando operações para garantir a segurança no mar e a cooperação na área de segurança em conjunto com os aliados e parceiros. As manobras fazem parte de rotação de rotina das forças", declarou um representante do Pentágono.



A região do mar Mediterrâneo é de responsabilidade da 6ª frota dos EUA. A 5ª frota dos EUA é responsável pelo Oriente Médio e golfo Pérsico.

A expedição, segundo o Pentágono, foi anunciada em fevereiro, quando a equipagem estava se preparando nos arredores da base em Norfolk. No entanto, na ocasião, o órgão não anunciou as datas concretas, nem o destino das embarcações. Com informações do Sputnik Brasil.

Leia também: Opaq enviará equipe para investigar ataque químico na Síria