COMPARTILHAR

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, e petistas planejam telefonar o dia todo para a unidade perguntando se ele passa bem. Segundo revela a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, uma das respostas foi de que o ex-presidente está mais seguro lá dentro do que nas ruas do país.

Outra estratégia dos manifetantes que apoiam Lula é escrever “Lula livre” em notas de reais, para aumentar a circulação da ideia.



+ Acampamento pró-Lula tem chuveiros instalados e pontos de doação

Manifestantes em Curitiba



De acordo com a Polícia Militar, cerca de 500 manifestantes estão reunidos nos arredores da sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Os organizadores dizem já ter mil credenciados. Em maioria, são sem-terra, mas há também sindicatos e movimentos de esquerda.

Nos atos, costumam gritar "bom dia, companheiro Lula" ou "boa tarde, companheiro Lula", embora o ex-presidente dificilmente consiga escutar da distância onde estão. Militantes identificados como "equipe de disciplina" ficam posicionados nos limites autorizados pela Polícia Militar.

Preso

Lula se entregou à PF no sábado (7). Ele fez exame de corpo de delito na sede da PF em SP e foi levado de helicóptero para o Aeroporto de Congonhas, onde embarcou para o Paraná. O petista foi condenado a 12 anos por corrupção e lavagem de dinheiro e deve cumprir pena em Curitiba.