COMPARTILHAR

O Sindicato dos Delegados da Polícia Federal do Paraná pediu nesta quarta (11) que o superintendente da corporação no estado, Maurício Valeixo, transfira o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da carceragem de Curitiba, onde ele está preso desde sábado (7).

Nos arredores do edifício a polícia montou bloqueios para evitar manifestações contra ou a favor ao ex-presidente. Só podem entrar funcionários, jornalistas, policiais e pessoas que tenham algum procedimento marcado com a PF.



Em frente, militantes montaram um acampamento em apoio a Lula. No pedido, o sindicato afirma que "a medida mais acertada seria a transferência imediata do ex-presidente para uma unidade das Forças Armadas, que possua efetivo e estrutura à altura dos riscos envolvidos".

"Há comprovados riscos à população que reside no entorno do prédio da PF, aos policiais federais e demais integrantes do sistema de segurança pública que moram nas imediações da sede da Polícia Federal", diz a nota da categoria.



+ Alvo da Lava Jato, Jaques Wagner reaparece e nega afastamento do PT

Segundo o informativo, "alguns invasores" que "já se instalaram com barracas e determinada estrutura" estão "promovendo ações no sentido de intimidar estas pessoas".

Moradores do local têm reclamado da presença dos manifestantes, que passam o dia discursando e assistindo atrações artísticas que defendem o ex-presidente. Já passou pelo local, por exemplo, a apresentadora Bela Gil – que entregou cestas de alimento agroecológicos – e a cantora Ana Cañas.

O bloqueio foi feito após ação policial quando o helicóptero com o ex-presidente pousava no edifício, no sábado. Oito pessoas ficaram feridas. O sindicato diz que houve "invasão da região próxima deste prédio de centenas de pessoas ligadas a movimentos sociais e outras facções". Com informações da Folhapress.