COMPARTILHAR

A égua Mary Happy, atropelada três vezes após ter fugido do Jockey Club Brasileiro na tarde de quarta-feira (12), foi sacrificada. O animal teve traumatismo craniano, não respondia aos estímulos e não conseguia levantar, segundo contou a veterinária Cristina Vieira.

O homem de 59 anos que dirigia a moto que colidiu com a água está internado em estado grave no Hospital Miguel Couto. Ele teve fratura de mandíbula, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde da cidade.



O G1 destaca que a égua puro-sangue inglês fugiu do Jockey, na Gávea, na Zona Sul do Rio, e seguiu correndo entre os carros. A motocicleta foi o primeiro dos três veículos que colidiram com o animal, que foi atropelado três vezes.

A veterinária afirmou que Mary Happy era mansa e tranquila, tinha dois anos de idade e ficava estressada quando era colocada no partidor, que é o ponto de partida nas corridas hípicas. Ela estava sendo domada quando se assustou e correu em direção ao portão da hípica.