COMPARTILHAR

Acusado de promover assédio sexual contra jornalistas japonesas, o vice-ministro administrativo de Finanças do país, Junichi Fukuda, não será investigado ou punido por nenhum dos casos.

A decisão foi tomada pelo superior imediato de Fukuda, o ministro das Finanças, Taro Aso, para quem o acusado "se mostrou suficientemente arrependido" das ações. Segundo a revista Shukan Shincho, Aso alegou ainda ter pedido que Fukuda passe atuar com "boa educação". "Uma advertência verbal é válida", afirmou o ministro.



+ Modelo argentina perde visão ao mudar cor dos olhos

Fukuda teria assediado jornalistas em diferentes situações. Em uma delas, ocorrida em um bar, teria pedido para beijar e tocar nos seios da vítima. Em outra, novamente solicitou beijos e sugeriu que ambos fossem para um hotel.