COMPARTILHAR

O drone iraniano interceptado por Israel em fevereiro passado continha explosivos, informou um porta-voz militar do país judeu.

Segundo o assessor, a missão da aeronave era "atacar o território israelense". Os militares chegaram a essa conclusão após examinar a trajetória do voo, "junto com uma investigação baseada em dados operacionais e de inteligência".



De acordo com jornais israelenses, o drone partira da base aérea denominada T-4, a mesma que dias atrás foi atingida em um ataque atribuído a Israel. Segundo os veículos, naquela região operam forças sírias, iranianas e russas.

No entanto, quando o drone foi lançado, os comandos militares do Irã e da Síria disseram que o veículo não invadira o espaço aéreo do país judeu e que seu objetivo era buscar células terroristas do Estado Islâmico.



Como resposta ao avião não-tripulado, Israel lançou uma operação contra alvos iranianos na Síria. Por sua vez, os sistemas de defesa sírios dispararam contra uma aeronave israelense F-16, o que deixou dois pilotos feridos. Com informações da ANSA.

Leia também: Cantora grávida de 8 meses é morta durante show no Paquistão