COMPARTILHAR

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, ameaçou prender uma promotora do Tribunal Penal Internacional (TPI), argumentando que ela não tinha direito a fazer investigações no país, que não estava mais sob jurisdição do TPI.

Duterte argumentou também que o tribunal não tinha o direito de conduzir investigações, já que seu país não era mais seu membro.



A promotora do TPI, Fatou Bensouda, foi confrontada após seu anúncio para iniciar um exame preliminar de uma queixa de um advogado filipino que acusou Duterte de crimes contra a humanidade.

Duterte desafiou Bensouda e a jurisdição do TPI sobre ele, dizendo aos repórteres.



"Qual é a sua autoridade [da TPI] agora? Se não somos membros do tratado, por que você está neste país?", questionou. O líder filipino prometeu prender a promotora do TPI se ela não se retirasse.

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, ameaçou prender uma promotora do Tribunal Penal Internacional (TPI), argumentando que ela não tinha direito a fazer investigações no país, que não estava mais sob jurisdição do TPI.

+ Número de feridos em Gaza chega a 700

Duterte argumentou também que o tribunal não tinha o direito de conduzir investigações, já que seu país não era mais seu membro.

A promotora do TPI, Fatou Bensouda, foi confrontada após seu anúncio para iniciar um exame preliminar de uma queixa de um advogado filipino que acusou Duterte de crimes contra a humanidade.

Duterte desafiou Bensouda e a jurisdição do TPI sobre ele, dizendo aos repórteres.

"Qual é a sua autoridade [da TPI] agora? Se não somos membros do tratado, por que você está neste país?", questionou. O líder filipino prometeu prender a promotora do TPI se ela não se retirasse. Com informações do Sputnik Brasil.