COMPARTILHAR

A defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para transferir de endereço 15 quadros e uma escultura apreendidos pela Polícia Federal em maio do ano passado, em uma operação de busca e apreensão.

+ Temer diz que a democracia é melhor arma para combater corrupção



Segundo destaca o o jornal O Globo, as obras de arte estão em um apartamento mantido pelo parlamentar na Avenida Vieira Souto, no Rio de Janeiro.

O responsável pela guarda do material é o funcionário da família, João da Silva Ribeiro.



No pedido, Aécio argumenta quer alugar o imóvel e solicita a transferência dos objetos para outro apartamento da família, na Avenida Atlântica.

A decisão ficará a cargo do ministro Marco Aurélio Mello, relator do processo.

As obras foram apreendidas em uma operação da PF realizada em maio do ano passado. A investigação faz parte do inquérito que apura se Aécio recebeu propina da R$ 2 milhões da JBS e se atrapalhou as investigações da Operação Lava Jato. O inquérito tem origem na delação de executivos da JBS.

A publicação destaca ainda que Aécio é acusado de corrupção passiva junto com a irmã, Andrea Neves; Frederico Pacheco, primo deles; e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).