COMPARTILHAR

Uma imagem com a fotografia de Susane von Richthofen como suposta candidata a deputada federal pelo PT, sob o número 13666 e com o slogan ' Em defesa da família', circula pelas redes sociais. No entanto, segundo destaca o UOL, trata-se de um boato. A paulista, que foi condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais em outubro de 2002, está com os direitos políticos suspensos.

"Segundo o artigo 15, inciso 3 da Constituição, quem for condenado criminalmente, com ação transitada e julgada, que é o caso dela, fica com os direitos políticos suspensos enquanto durarem os efeitos da pena", afirma Alberto Rollo, advogado especialista em direito eleitoral, em entrevista ao UOL.



+ Família de Marielle terá encontro com a polícia

"Isso significa que, durante esse período em que ela cumpre pena, não poderá exercer estes direitos. Ainda que esteja em regime semiaberto, isso não muda", esclarece o advogado.



Além disso, Suzane não é filiada ao PT. O seu nome não consta na relação de filiados ao partido na lista disponibilizada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A publicação refere que, segundo a Legislação Eleitoral, o candidato deve se filiar ao partido pelo qual tem interesse em concorrer até o dia 7 de abril, seis meses antes da eleição.

O boato também apresenta um erro no número e cargo pelo qual, supostamente, Suzane estaria concorrendo. Se a detenda fosse candidata à Câmara Federal, não poderia concorrer com o número 13666, porque para este cargo são usados quatro dígitos nas urnas. Cinco dígitos serão usados para eleger os deputados estaduais nas eleições de outubro.

A reportagem tentou entrar em contato com o PT, mas o partido não quis comentar o caso nem falar sobre estratégias para combater fake news.