COMPARTILHAR

Manifestantes pró-Lula caminharam da estação Morumbi do metrô até a sede da Rede Globo, na Zona Sul de São Paulo, em protesto contra o que eles chamaram de "golpe político-midiático" e "prisão política" do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com dados da Polícia Militar, cerca de 300 pessoas fecharam as faixas da direita da marginal Pinheiros cantando palavras de ordem: "Lula inocente, Lula presidente" e "Lula não se prende, Lula é a gente".



O ato foi organizado pela Frente Povo Sem Medo e pela Frente Brasil Popular. Segundo os manifestantes, os grandes veículo de comunicação contribuíram com a farsa que prendeu o petista.

+ Acampamento pró-Lula fica a menos de 1 km da PF em Curitiba



O grupo pede a democratização da mídia e a revisão das concessões de TV.

Eles também lembraram o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, que está prestes a completar dois anos.Pediam a democratização da mídia e a revisão das concessões de TV, entre gritos de "A verdade é dura, a Rede Globo apoiou a ditadura e ainda apoia", "Mídia golpista" e "O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo".

Um manifestante tentou empurrar o portão de acesso, na avenida Chucri Zaidan, para ocupar o prédio.

Dentro do prédio, cerca de 11 seguranças estavam a postos cercando o acesso. Do outro lado da avenida, a polícia fazia o cerco e liberava a via. A manifestação terminou às 19h30.