COMPARTILHAR

Os organizadores do acampamento em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Curitiba (PR), afirmam que o grupo foi atacado duas vezes nesta terça-feira (17). De acordo com o movimento, barras de ferro foram utilizadas, deixando duas pessoas feridas.

As agressões teriam acontecido durante a transferência do acampamento para um terreno a cerca de um quilômetro de distância da carceragem onde o petista está preso.



Em um vídeo, Doutor Rosinha, presidente do PT-PR, conta como foi o ataque com barras de ferro. "Agora mesmo, passam dezenas de pessoas ameaçando, provocando, agredindo verbalmente, e nós estamos respeitando a todos. Quando há qualquer coisa, vão dizer que nós somos violentos", relatou.

Rosinha pede que as autoridades garantam a segurança dos manifestantes, colocando um patrulhamento no local.



Assista:

Em nota à qual a Folha de S. Paulo teve acesso, a organização afirma que houve um ataque a manifestantes que atravessavam a avenida Paraná, próxima ao acampamento e outro realizado por um grupo da torcida organizada Império Alviverde, do Coritiba.

A secretaria de Segurança do Paraná ainda não se manifestou sobre o caso.