COMPARTILHAR

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) elabora pedido de extradição do brasileiro Danilo Santana, preso em Dubai, nos Emirados Árabes, desde o fim de fevereiro. Ele é suspeito de comandar um esquema de pirâmide aplicado no Rio Grande do Sul e na Bahia, segundo informações do G1.

O nome de Danilo foi incluído na difusão vermelha, lista de procurados da Interpol, após a Vara Criminal de Sapiranga, cidade na Região Metropolitana de Porto Alegre, expedir um pedido de prisão preventiva contra ele.



O pedido de prisão chegou a ser revogado devido a problemas com a remessa dos documentos ao país árabe. A decisão foi revista, conforme explica o promotor Sérgio Cunha de Aguiar Filho. "Consegui reverter a decisão e manter a prisão, através de recurso", afirma. A Promotoria avalia como garantir a manutenção da prisão de Santana nos Emirados Árabes até seu retorno ao Brasil.

+ Chefe da Polícia Civil de SP deixa cargo e ataca novo governador



O golpe elaborado por Danilo era aplicado em um site que funcionava como plataforma de apostas de campeonatos de futebol. Para se cadastrar, o interessado precisava depositar uma quantia, com a promessa de ganhos de 30% do valor investido.

No entanto, o lucro era fictício, e não era possível resgatar o dinheiro. Somente quem estava topo da pirâmide, convencendo outras pessoas a participarem, lucrava.

De acordo com o delegado Fernando Branco, responsável pelo inquérito aberto em Sapiranga, o grupo atuava em todo o país. "Existem outras investigações no Brasil, tem gente que foi lesada em todo o país, mas tinha uma célula muito forte desse grupo criminoso aqui. Pedimos a prisão para o juiz da comarca, dele [preso em Dubai] e de outras pessoas. Após a decretação da prisão, encaminhamos o pedido para a Interpol, e o nome dele foi colocado na difusão vermelha", explica o delegado.

O Ministério das Relações Exteriores informou que foi comunicado sobre a prisão, e que a representação diplomática brasileira nos Emirados Árabes acompanha o caso.