COMPARTILHAR

Em uma operação realizada em diversos locais de Portugal, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) informou, nesta quinta-feira (19), que deteve sete pessoas pelos crimes de auxílio à imigração ilegal e falsificação de documentos para obtenção da nacionalidade portuguesa.

Em comunicado, o SEF afirmou que “uma operação de grande envergadura” ocorreu na terça (17), com mandados de detenção e busca a dois escritórios de advogados e a uma conservatória do registro civil. Em informação à agência Lusa, uma fonte revelou que as buscas foram em uma conservatória do registro civil de Coimbra e em dois escritórios de advogados de Braga, noticia a TVi.



Ainda de acordo com o serviço de segurança, a intervenção visou uma associação criminosa, composta maioritariamente por cidadãos oriundos da América do Sul, que se dedicava à prática dos crimes de auxílio à imigração ilegal e falsificação ou reprodução fraudulenta de documentos.

A fonte precisou à Lusa que os detidos são brasileiros e a falsificação de documentos tinha como objetivo a obtenção da nacionalidade portuguesa.



A investigação do SEF teve início em 2016, e permitiu reunir “indícios do envolvimento dos detidos com outros suspeitos, que foram agora constituídos arguidos, num esquema que permitiria a obtenção da nacionalidade portuguesa de forma fraudulenta, a troco de elevadas quantias monetárias”.

Os detidos, cinco homens e duas mulheres, com idades os 23 e os 48 anos, estão sendo ouvidos por um juiz de instrução em Lisboa nesta quinta (19).

Leia também: Miguel Díaz-Canel é eleito novo presidente de Cuba